Ideias e poesias, por mim próprio.

Sábado, 2 de Dezembro de 2023
Influências

Praticamente tudo o que se faz hoje em Portugal depende das influências certas.

É a cunha, o padrinho, o favor, o jeito, o amigo ou a amiga, o incentivo, a prenda, o esquema, etc., etc.

Na governação do país, das autarquias, um pouco por todas as empresas e institutos públicos e no Estado, em geral, fazem-se, dão-se, trocam-se, compram-se e vendem-se.

É claro que no final e em troco, os bolsos de alguns ficam mais recheados, o seu poder ilegítimo e a sua rede criminal aumentada, obtidas vantagens e receitas ilícitas.

As falsas e esfarrapadas desculpas são “em prol e a bem do país, do concelho ou da freguesia”, do “crescimento da economia”, do “bem-estar de todos”, do “emprego público”, do “conhecimento”, da “confiança” ou da “amizade”, etc., coisa e tal.

É a lei do amiguismo, nepotismo, afilhadismo, filhotismo, favoritismo, e todos os outros ismos corruptos, no seu esplendor.

Perante este Estado paralelo e ínvio, as pessoas e os seus reais problemas, a verdade, a competência, a honestidade, a probidade, a retidão, os valores, os princípios, a responsabilidade, a Lei, o Direito, a Justiça, a Democracia e o resto, valem …nada.

É a lei do facto consumado, do mais forte e espertalhão, do punho e da força, da arrogância, da prepotência, do abuso e do mal.

Mas os governantes, os autarcas, os agentes e funcionários públicos, apanhados a fazerem jeitinhos…, traduzido juridicamente de tráfico de influências, são apenas delinquentes.

O tráfico de influências, justamente, encontra-se tipificado no artigo 335º do Código Penal, sendo punido com pena de prisão até 5 anos, ou de multa até 240 dias.

No final deste itinerário, que mais não são do que falsidades, falsificações, fraudes, abusos, corrupção, furtos e roubos, temos a delinquência e a criminalidade em geral.

E os seus resultados vão desde a corrupção financeira pública e privada, a injustiça e a violência, a instabilidade e a insegurança, passando pelo tráfico de drogas, armas e de pessoas, a destruição ambiental, social, cultural e educacional, até à guerra e ao terrorismo.

É o país do pântano que anunciava em 2001 um tristemente afamado Primeiro-Ministro, António Guterres, justificando-se para apresentar a sua demissão e o fim do seu Governo.

António Costa, o agora Primeiro-Ministro, mais um, não lhe resistiu.

 

(artigo do autor, publicado na edição de 1 de dezembro de 2023 do jornal mensário regional  "Jornal Horizonte" de Avelar, Ansião, Leiria)

horizontenovembro2023.jpg



publicado por Sérgio Passos (twitter: @passossergio) às 22:20
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 4 de Outubro de 2023
Impostos

O tema político da atualidade portuguesa é a baixa de impostos.

Mas não passa de panaceia para iludir o eleitorado.

Uma baixa séria e consistente dos impostos jamais será permitida até que os Partidos Políticos sejam os donos do Estado e do País.

A atual lógica de funcionamento do Estado tem em vista o apascento das organizações clientelares e delituosas, vivendo e enriquecendo à custa de abundantes impostos e réditos públicos.

Vejam-se os Ministros, Secretários de Estado, Presidentes de Câmara, Vereadores e muitos outros diretores e chefias de empresas públicas, fazendo ajustes diretos e negócios sem controlo, sem fiscalização, nem justificação económica.

Terminados os respetivos mandatos aterram nas empresas antes contratadas, usufruindo de altos salários e luxuosas regalias, consumando os furtos e abusos.

A corrupção campeia no site www.base.gov.pt, são aos milhares por ano os contratos e ajustes corruptos.

Os nomes dos autores e beneficiários dos golpes podem-se aí ler.

Percebemos o porquê dos contratos e orçamentos inflacionados, perdulários ou supérfluos, e as causas e os sinais da súbita riqueza de muitos destes ex-governantes, ex-autarcas e ex-dirigentes públicos.

Para baixar de verdade os impostos tem, por um lado, de se reduzir drasticamente o aparelho burocrático e administrativo do Estado e, por outro, cortar radicalmente o Orçamento Geral de Estado.

Anualmente o Estado gasta 20 mil milhões de Euros de corrupção, somando-se mais 23 mil milhões em burocracia inútil.

A impunidade está garantida por um sistema legal inepto, aliado a uma Justiça paralisada em entropias.

E, na base eleitoral, uma parte, cada vez maior, do povo é alimentado e anestesiado com subsídios, vícios, jogo, ruído, folguedo noturno, alienação e iliteracia.

As oligarquias partidárias e seus acólitos estão cada vez mais ricos e nababos.

Os trabalhadores, os profissionais liberais e os, poucos, empresários estão cada vez mais pobres e esmagados.

O Estado Português é uma inutilidade careira, ruinosa e geradora de infelicidade e miséria nacionais.

O contrato social, as suas funções e obrigações, como a saúde, a educação e a segurança social, têm de ser rigorosamente revistos e recontados.

Em vez do atual esmagamento pelos impostos que impede a geração de riqueza, tem de se libertar e empoderar os profissionais e as empresas para a criação de emprego, produtividade e felicidade coletivas.

O país necessita de um regime político idóneo, de contas e governantes sérios e transparentes, proibindo-se o endividamento externo e os défices públicos.

O Estado tem de ser remetido ao exercício e cumprimento das funções de soberania, substituindo-se a partidocracia pela cidadania, cumprindo a democracia.

Para isto tem de se eleger diretamente, por meio de candidaturas uninominais e pessoais, políticos honestos, competentes e patriotas.

A manutenção do status quo revê-se na emigração dos jovens e dos mais aptos, o agravamento do empobrecimento nacional e a alienação da terra portuguesa a estrangeiros e mercenários.

(artigo do autor, publicado na edição de 1 de setembro de 2023 do jornal mensário regional  "Jornal Horizonte" de Avelar, Ansião, Leiria)

Horioznte setembro 2023.jpg



publicado por Sérgio Passos (twitter: @passossergio) às 09:35
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 30 de Junho de 2023
O ataque do Governo Socialista aos advogados

O Governo Socialista, na sequência da recente lei restritiva das Associações Públicas Profissionais, prepara-se para rever os vários Estatutos das Ordens Profissionais.

Desde a sua fundação, em 1926, a Ordem dos Advogados (OA) e os advogados sempre foram respeitados pelos poderes públicos, nas suas independência, isenção e autorregulação.

Mesmo no antigo Estatuto Judiciário, com o Estado Novo e na ditadura de Salazar, a Ordem dos Advogados e a sua autonomia tinham respeito de Lei.

O que se aprofundou e vincou com a Democracia, após 1974.

O atual Governo enveredou agora por um forte ataque, em geral, à autorregulação e autonomia das profissões liberais de interesse público, sejam eles médicos, psicólogos ou técnicos oficiais de contas, entre outros, e, em particular e pior, aos advogados.

Estes socialistas, que odeiam tudo o que não controlam e que se lhes opõem, têm em vista estatuir a funcionalização e a subordinação públicas dos advogados aos seus ditames político-partidários.

No novo projeto de lei de Estatutos da OA, entre outros abusos, são criados os aberrantes “Conselho de Supervisão” e “Provedor dos Destinatários dos Serviços”.

Estes dois órgãos, detidos maioritariamente por não advogados, servem o papel de comissários políticos do Governo na OA.

Nesta senda persecutória, a Bastonária dos Advogados passa a prestar obediência e respeito à maioria Socialista da Assembleia da República.

Não bastando, o Governo visa por fim à Lei dos Atos Próprios dos Advogados.

Os advogados, com as suas qualificações e competências, adquiridas ao fim de muitos de anos de estudos e prática, ver-se-ão em breve ultrapassados por todo e qualquer curioso.

Sem que alguma vez tenham adquirido conhecimentos ou habilitações, sem estágio profissional, sem deveres éticos e deontológicos e sem seguros de responsabilidade profissional, qualquer arrivista passa a poder a comercializar serviços jurídicos.

A consulta jurídica, a redação de contratos e a prestação de serviços administrativos (escrituras, registos e outros), passam a estar ao alcance indistinto de qualquer semiletrado ou analfabeto, funcionário público ou outro.

O patrocínio judiciário, atualmente restrito aos advogados e solicitadores, passará a poder ser exercido pelos agentes de execução e administradores de insolvência.

Pasme-se, mesmo que não juristas, tais profissionais passarão a agir nos tribunais, pontualmente e para alguns atos.

Por fim, cedendo a obscuros piratas e grupos financeiros, cobradores de fraque, chantagistas e agiotas, o PS atribui o poder de estes cobrarem judicialmente créditos.

Ficam assim à vista as intenções do PS em mercantilizar e fragilizar a segurança jurídica dos cidadãos e das empresas, debilitar o Estado de Direito Democrático e colocar a Justiça na insegurança jurídica.

Mas, os advogados vão combater estas medidas totalitárias, arbitrárias e antidemocráticas, como já o fizeram, até ao 25 de abril de 1974, na sua árdua luta contra o fascismo e a ditadura.

(artigo do autor, publicado na edição de 31 de Junho de 2023 do jornal mensário regional  "Jornal Horizonte" de Avelar, Ansião, Leiria)

horizonte31junho2023.jpg



publicado por Sérgio Passos (twitter: @passossergio) às 23:19
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 7 de Dezembro de 2022
Selfie made man

Diz o provérbio que “mais vale cair em graça do que ser engraçado”.

É ao jeito do comentário do Presidente da República sobre a grave violação dos direitos humanos no Catar, palco deste Campeonato Mundial de Futebol.

Marcelo, no seu hábito de comentador de futebol, entre outras frugalidades, esqueceu-se das suas especiais responsabilidades políticas, legais e constitucionais.

À custa de querer ser popular não olhou a palavras (ora afirmando, ora desdizendo).

Selfies, croquetes ou ginjinhas, o importante é mesmo ser notado nos noticiários televisivos.

Mas, já se apressou, com outros figurões do Estado, em alinhar nos lustros e viagens aos futebóis, fazendo tábua rasa dos direitos dos mais sofridos do mundo.

Não é por acaso que o rico socialista António Costa também não olhou a despesas na compra duma simples mesa e vinte e quatro cadeiras.

Foram 21 mil euros, à custa dos contribuintes, para suas excelências sentarem confortavelmente o rabo na Presidência do Conselho de Ministros.

Isto é escandaloso, num país em que mais de 3 milhões de crianças, idosos, deficientes, mulheres e homens, não possuem os meios económicos mínimos para fazer face à fome e ao frio, sobrevivendo sem médico de família, sem saúde e sem medicamentos, entre muitas outras privações, dificuldades e misérias,

E, para vexar ainda mais os portugueses competentes e trabalhadores, um recém-licenciado, sem qualquer experiência ou currículo, filho de uma amiga do pai, ex-Ministro, da Ministra socialista, chegou rapidamente ao salário milionário de 4 mil euros mês, mais do que auferem muitos técnicos especializados, cirurgiões ou professores catedráticos do Estado ao fim de décadas.

Bastou ter em dia a ficha de militante no Partido Socialista.

Afinal, para se chegar a Secretário de Estado, autarca ou deputado da nação, basta estourar 300 mil euros dos contribuintes, ou aumentar a fortuna pessoal por meio de negócios do Estado ou das Câmaras, e sempre demonstrando as qualidades de medíocre ou néscio.

Sobram arguidos e escandaleiras na governação, é o país que temos.

O provérbio é bem o contraste da atual sociedade portuguesa.

O sucesso depende especialmente da melhor publicidade e da imagem pública, dos “padrinhos” e amigos nos sítios certos, ao invés da honorabilidade, da competência e do esforço pessoais mantidos no recato.

Afinal, como nos é diariamente exibido, para se fazer um homem, ou uma mulher (made man/woman), em Portugal, bastam as fotos do próprio (selfie).

 

(artigo do autor, publicado na edição de 1 de dezembro de 2022 do jornal mensário regional  "Jornal Horizonte" de Avelar, Ansião, Leiria)

horizonte1.12.2022.jpg

 



publicado por Sérgio Passos (twitter: @passossergio) às 12:55
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sábado, 4 de Abril de 2020
O Estado Português na mão dos oligarcas.

O regime político português, quer o Estado Central, Descentralizado ou nas Autarquias, e até mesmo nos Órgãos de Soberania, possui uma vincada natureza autocrática e despótica.

Muitos titulares de cargos políticos e públicos, ministros, autarcas, dirigentes, gestores ou agentes públicos para calarem e eliminarem os cidadãos que ousam fazer criticas ou denuncias públicas por atos corrupção, incompetência, mau governo e ou abuso de poder, retaliando persecutoriamente contra estas pessoas.

Esta perseguição social, política e estatal é levada a efeito por meio do uso e abuso criminoso dos poderes públicos legais, ou do erário público, para tanto lançando mão de atos persecutórios ao nível dos concursos, das contratações, nos licenciamentos, nos pagamentos, etc. etc., assim prejudicando pelas mais diversas formas os profissionais, empresas ou cidadãos e até mesmo as difamando.

Do que se tratam e são estes indivíduos, afinal, mais não são do que oligarcas.

Ou seja, os políticos para se manterem a todo e qualquer custo nas cadeiras do poder, usam o próprio poder político para atacarem os seus concidadãos.

Os partidos políticos, os agentes políticos e muitos titulares de cargos políticos usam os poderes e os meios públicos para atacarem e destruírem as pessoas que lhes façam frente.

Qual democracia qual quê, Portugal desceu já abaixo de uma República rameira e, despudoradamente, encontra-se ao serviço de reles criminosos e bandoleiros.

Bandidos, tenham vergonha, também há de chegar a vossa hora de serem justiçados!


 

oligarcas.png

 



publicado por Sérgio Passos (twitter: @passossergio) às 13:14
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sábado, 21 de Setembro de 2019
Corrupção até 10%

A Corrupção é legal se só parecer até 10%?
Qual é mesmo a diferença dum membro do Governo, dum Governo Regional, ou duma Autarquia, deter até 10%, 11%, ou 1%, ou mais ou menos, numa empresa comercial, ou que seja da propriedade de um irmão, de um ascendente ou descendente, ou parente próximo, cujo único propósito, ou quase exclusividade, da sua atividade é fazer negócios com o Estado, o Governo duma Região Autónoma, ou Autarquia?
Claramente que a Lei n.º 64/93, de 26 de agosto, que estabelece o Regime Jurídico de Incompatibilidades e Impedimentos dos Titulares de Cargos Políticos e Altos Cargos Públicos, está mal feita e só serve, e tem como exclusivo fito, para branquear, iludir e enganar o povinho sobre o real problema em causa.
Ora, até que não se cortem cerce todos os potenciais conflitos de interesses daqueles que andam na política e os negócios com o Estado, ou seja acabando promiscuidade entre a política e os interesses económicos associados a ela, jamais se porá fim à corrupção, aos tráficos de influências, à prevaricação, ao enriquecimento e demais abusos do poder político e seus comparsas sobre a Coisa Pública.
Portanto, tudo isto não passa duma gigantesca farsa para enganar os tolos.
Não me queiram iludir com Pareceres, mais ou menos doutos, não brinquem com a minha inteligência, “só é mesmo cego quem não quer ver”.

9D7CDE74-E571-487B-9BD1-C250428B75CE.jpeg

 

 



publicado por Sérgio Passos (twitter: @passossergio) às 22:35
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 10 de Abril de 2017
Aeroporto do dito cujo

Aeroporto da "treta" e dos "tretas", digo eu.
Para o batizado do aeroporto da Madeira com o nome de Cristiano Ronaldo foram fretados dois aviões com incontáveis comitivas de engravatados, um à conta do Orçamento da Presidência da República, ou como eu chamo o do "palhaço da república", de o outro à conta do Orçamento da Presidência do Conselho de Ministros", ou como eu chamo o "maior ilusionista de Portugal".
Ou seja, dezenas de milhar de euros gastos em viagens, hotéis, estadias, alimentação, transportes e demais mordomias, e tudo a esmifrar os impostos dos contribuintes.
Fez-se a matança e comeram os porcos, e sem que ainda se soubesse, encontrando-se os Governos da República e o Regional à espera da resposta do pedido de parecer à Procuradoria-Geral da República se a atribuição do nome de Cristiano Ronaldo, ou seja, se o show para o enriquecimento da marca privada do CR7, é ou não legal.
Ora, digam lá se esta "alta vagabundagem" da República é ou não esperta?!

 

bustoronaldo.png



publicado por Sérgio Passos (twitter: @passossergio) às 10:12
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 10 de Outubro de 2014
O Estado Português na mão dos oligarcas.

O regime político português, quer o Estado Central, Descentralizado ou nas Autarquias, e até mesmo nos Órgãos de Soberania, possui uma vincada natureza autocrática e despótica.

Muitos titulares de cargos políticos e públicos, ministros, autarcas, dirigentes, gestores ou agentes públicos para calarem e eliminarem os cidadãos que ousam fazer criticas ou denuncias públicas por atos corrupção, incompetência, mau governo e ou abuso de poder, retaliando persecutoriamente contra estas pessoas.

Esta perseguição social, política e estatal é levada a efeito por meio do uso e abuso criminoso dos poderes públicos legais, ou do erário público, para tanto lançando mão de atos persecutórios ao nível dos concursos, das contratações, nos licenciamentos, nos pagamentos, etc. etc., assim prejudicando pelas mais diversas formas os profissionais, empresas ou cidadãos e até mesmo as difamando.

Do que se tratam e são estes indivíduos, afinal, mais não são do que oligarcas.

Ou seja, os políticos para se manterem a todo e qualquer custo nas cadeiras do poder, usam o próprio poder político para atacarem os seus concidadãos.

Os partidos políticos, os agentes políticos e muitos titulares de cargos políticos usam os poderes e os meios públicos para atacarem e destruírem as pessoas que lhes façam frente.

Qual democracia qual quê, Portugal desceu já abaixo de uma República rameira e, despudoradamente, encontra-se ao serviço de reles criminosos e bandoleiros.

Bandidos, tenham vergonha, também há de chegar a vossa hora de serem justiçados!


 

oligarcas.png

 



publicado por Sérgio Passos (twitter: @passossergio) às 11:00
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 23 de Julho de 2014
Presidência do Conselho de Ministros tem 530 carros ao seu serviço e custa por ano aos contribuintes 260 milhões, 310 mil e 77 euros.

A Presidência do Conselho de Ministros, chefiada por Passos Coelho, custa anualmente aos contribuintes portugueses a pornográfica despesa de 260 milhões, 310 mil e 77 euros.

(Ver em :http://www.dgo.pt/politicaorcamental/Paginas/OEpagina..aspx?Ano=2014&TipoOE=Or%u00e7amento+Estado+Aprovado&TipoDocumentos=Lei+%2f+Mapas+Lei+%2f+Relat%u00f3rio)

Definição: A Presidência do Conselho de Ministros (PCM) é o departamento central do Governo de Portugal. Tem por missão prestar apoio ao Conselho de Ministros e aos demais membros do Governo nele integrados e promover a coordenação dos diversos departamentos governamentais que a integram. A PCM é equiparada a um ministério diretamente chefiado pelo primeiro-ministro, na sua qualidade de presidente do Conselho de Ministros.

São tachos e mais tachos, boys e girls no Governo de Passos Coelho.

Ora, a austeridade é apenas o preço da corrupção a pagar pelos portugueses!

Só o Gabinete do Primeiro Ministro Passos Coelho detém uma frota de 31 carros de luxo de alta gama, uma dúzia de motoristas e ainda dezenas de boys e girls com vencimentos milionários!

E a Presidência do Conselho de Ministros tem uma frota total de 530 carros, para distribuir pelos ministros, secretários de estado e assessores!

Em conjunto os ministério governamentais e as suas secretarias de estado, em 2013, possuíam uma frota que contava 26 mil 861 carros!

(Ver em: http://www.espap.pt/docs/eSPap_Relat_PVE_1T2013.pdf)

 

EIS A COMPOSIÇÃO DO GABINETE DO ''NOSSO'' 1º-MINISTRO E OS SEUS VENCIMENTOS:

Por,
Função:
Nome:
Idade:
Nomeação:
Vencimento:

Chefe de Gabinete
Francisco Ribeiro de Menezes
46 anos
06-08-2011
4.592,43

Assessor
Carlos Henrique Pinheiro Chaves
60 anos
21-06-2011
3.653,81

Assessor
Pedro Afonso A. Amaral e Almeida
38 anos
18-07-2011
3.653,81

Assessor
Paulo João L. Rego Vizeu Pinheiro
48 anos
11-07-2011
3.653,81

Assessor
Rudolfo Manuel Trigoso Rebelo
48 anos
21-06-2011
3.653,81

Assessor
Rui Carlos Baptista Ferreira
47 anos
21-06-2011
3.653,81

Assessora
Eva Maria Dias de Brito Cabral
54 anos
12-10-2011
3.653,81


Assessor
Miguel Ferreira Morgado
37 anos
21-06-2011
3.653,81

Assessor
Carlos A. Sá Carneiro Malheiro
38 anos
01-12-2011
3.653,81

Assessora
Marta Maria N. Pereira de Sousa
34 anos
21-06-2011
3.653,81

Assessor
Bruno V. de Castro Ramos Maçaes
37 anos
01-07-2011
3.653,81

Adjunta
Mafalda Gama Lopes Roque Martins
35 anos
01-07-2011
3.287,08

Adjunto
Carlos Alberto Raheb Lopes Pires
38 anos
21-06-2011
3.287,08

Adjunto
João Carlos A. Rego Montenegro
34 anos
21-06-2011
3.287,08

Adjunta
Cristina Maria Cerqueira Pucarinho
46 anos
23-08-2011
3.287,08

Adjunta
Paula Cristina Cordeiro Pereira
41 anos
22-08-2011
3.287,08

Adjunto
Vasco Lourenço C. P. Goulart Ávila
47 anos
21-11-2011
3.287,08

Adjunta
Carla Sofia Botelho Lucas
28 anos
25-01-2012
3.287,08

Técnico Especialista
Bernardo Maria S. Matos Amaral
38 anos
07-09-2011
3.287,08

Técnica Especialista
Teresa Paula Vicente de Figueiredo Duarte
44 anos
21-07-2011
3.653,81

Técnica Especialista
Elsa Maria da Palma Francisco
40 anos
16-01-2012
3.653,81

Técnica Especialista
Maria Teresa Goulão de Matos Ferreira
49 anos
18-07-2012
3.653,81

Secretária pessoal
Maria Helena Conceição Santos Alves
54 anos
18-07-2011
1.882,76

Secretária pessoal
Inês Rute Carvalho Araújo
46 anos
18-07-2011
1.882,76

Secretária pessoal
Ana Clara S. Oliveira
38 anos
13-07-2011
1.882,76

Secretária pessoal
Maria de Fátima M. L. Hipólito Samouqueiro
47 anos
21-06-2011
1.882,76

Secretária pessoal
Maria Dulce Leal Gonçalves
52 anos
01-07-2011
1.882,76

Secretária pessoal
Maria M. Brak-Lamy Paiva Raposo
59 anos
13-07-2011
1.882,76

Secretária pessoal
Margarida Maria A. A. Silva Neves Ferro
53 anos
21-06-2011
1.882,76

Secretária pessoal
Maria Conceição C. N. Leite Pinto
51 anos
21-06-2011
1.882,76

Secretária pessoal
Maria Fernanda T. C. Peleias de Carvalho
45 anos
01-08-2011
1.882,76

Secretária pessoal
Maria Rosa E. Ramalhete Silva Bailão
58 anos
01-09-2011
1.882,76

Coordenadora
Luísa Maria Ferreira Guerreiro
48 anos
01-01-2012
1.506,20

Técnico administrativo
Alberto do Nascimento Cabral
59 anos
01-01-2012
1.506,20

Técnica administrativa
Ana Paula Costa Oliveira da Silva
42 anos
01-01-2012
1.506,20

Técnica administrativa
Elisa Maria Almeida Guedes
47 anos
01-01-2012
1.500,00

Técnica administrativa
Isaura Conceição A. Lopes de Sousa
59 anos
01-01-2012
1.506,20

Técnico administrativo
José Manuel Perú Éfe
60 anos
01-01-2012
1.506,20

Técnica administrativa
Liliana de Brito
50 anos
01-01-2012
1.500,00

Técnica administrativa
Maria de Lourdes Gonçalves Ferreira Alves
61 anos
01-01-2012
1.506,20

Técnica administrativa
Maria Fernanda Esteves Ferreira
57 anos
01-01-2012
1.506,20

Técnica administrativa
Maria Fernanda da Piedade Vieira
61 anos
01-01-2012
1.506,20

Técnica administrativa
Maria Umbelina Gregório Fernandes Barroso
47 anos
01-01-2012
1.500,00

Técnica administrativa
Zulmira Jesus G. Simão Santos Velosa
47 anos
01-01-2012
1.506,20

Técnico administrativo
Artur Vieira Gomes
53 anos
01-01-2012
1.600,15

Técnica administrativa
Benilde Rodrigues Loureiro da Silva
58 anos
01-01-2012
975,52

Apoio Auxiliar
Fernando Manuel da Silva
68 anos
01-01-2012
975,52

Apoio Auxiliar
Francisco José Madaleno Coradinho
45 anos
01-01-2012
1.472,82

Apoio Auxiliar
Joaquim Carlos da Silva Batista
57 anos
01-01-2012
975,52

Apoio Auxiliar
José Augusto Morais
51 anos
01-01-2012
975,52

Apoio Auxiliar
Maria Lurdes da Silva Barbosa Pinto
58 anos
01-01-2012
975,52

Apoio Auxiliar
Maria de Lurdes Camilo Silva
65 anos
01-01-2012
975,52

Apoio Auxiliar
Maria Júlia R Gonçalves Ribeiro
58 anos
01-01-2012
975,52


Apoio Auxiliar
Maria Natália Figueiredo
64 anos
01-01-2012
975,52

Apoio Auxiliar
Maria Rosa de Jesus Gonçalves
58 anos
01-01-2012
975,52

Motorista
António Francisco Guerra
52 anos
01-01-2012
1.848,53

Motorista
António Augusto Nunes Meireles
61 anos
01-01-2012
2.028,28

Motorista
António José Pereira
48 anos
01-01-2012
1.848,53

Motorista
Arnaldo de Oliveira Ferreira
49 anos
01-01-2012
1.848,53

Motorista
Jaime Manuel Valadas Matias
52 anos
01-01-2012
1.848,53

Motorista
Jorge Henrique S. Teixeira Cunha
52 anos
01-01-2012
1.848,53

Motorista
Jorge Martins Morais
46 anos
01-01-2012
1.848,53

Motorista
José Hermínio Frutuoso
53 anos
01-01-2012
1.848,53

Motorista
Nuno Miguel R. Martins Cardoso
37 anos
01-01-2012
1.848,53

Motorista
Paulo Jorge Pinheiro da Cruz Barra
40 anos
01-01-2012
1.848,53

Motorista
Rui Miguel Pedro da Silva Machado
42 anos
01-01-2012
1.848,53

Motorista
Vitor Manuel G Marques Ferreira
42 anos
01-01-2012
1.848,53

Chefe de Gabinete - 1
Assessores -10 
Adjuntos - 7
Técnicos Especialistas - 4
Secretárias Pessoais - 10
Coordenadora - 1
Técnicos Administrativos - 13
Apoio Auxiliar - 9
Motoristas – 12

 

Como é que a despesa pública alguma vez poderá baixar com esta gente a derreter dinheiro e a encherem os bolsos à custa do nosso sacrifício!?

Como é que se pode aceitar que um Governo derreta dinheiro público assim?

Isto é um ultraje!

 



publicado por Sérgio Passos (twitter: @passossergio) às 16:42
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Sexta-feira, 16 de Maio de 2014
Estado, para que te quero?

A democracia mais perfeita que eu posso conceber é aquela na qual ao fim de um ano completo eu possa fazer só e exclusivamente meu todo o rendimento que eu haja livremente adquirido até aí.

Ao me debruçar consecutivamente sobre os novos problemas técnicos e práticos levantados pelo novo Mapa Judiciário, e deparando-me com as suas nefastas consequências humanas e sociais na administração da Justiça a partir de 1 de Setembro próximo, chego sempre à inevitável conclusão de que o Ministério da Justiça só pode estar assaltado por uma gravíssima e profunda psicopatia anti-judiciária.

É que não posso crer como se pode entender ser exequível esta irracionalidade esquizofrénica travestida e sem pés nem cabeça deste Mapa Judiciário!

Até que não se crie em Portugal a convicção de que o Estado só pode servir os cidadãos, e não, como tem sido até agora, que ele está ao serviço dos partidos políticos para a exploração dos portugueses, a situação nacional jamais mudará.

Tão mal quanto um mau funcionário público é um outro funcionário público que entende que o Estado está ao serviço de uma particular ideologia política.

É que o Estado não está ao serviço da opressão e da desigualdade, mas antes e ao contrário, só pode estar exclusivamente ao serviço da liberdade e da igualdade.

Todo o funcionário público e todo o político mostram a sua completa inutilidade quanto passam a defender a sua indispensabilidade.
É que deixaram de acreditar na liberdade da sociedade e, ao invés, passaram a defender o direito do seu salário poder oprimir os cidadãos.

Todo o político e governante que cometa o hara-kiri merece o meu mais profundo e sentido respeito.



publicado por Sérgio Passos (twitter: @passossergio) às 18:33
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2024
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

Influências

Impostos

O ataque do Governo Socia...

Selfie made man

O Estado Português na mão...

Corrupção até 10%

Aeroporto do dito cujo

O Estado Português na mão...

Presidência do Conselho d...

Estado, para que te quero...

arquivos

Abril 2024

Março 2024

Fevereiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Junho 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

tags

todas as tags

subscrever feeds
últ. comentários
Este Rectângulo (que bem gerido pelas pessoas cert...
Obrigado pelo seu comentário e pela consideração. ...
Completamente e efectivamente. Ou então fazem-se p...
Parabéns pelo seu blog. Se não se importa, começa...
Mas no 25 de abril, com o cravo vermelho ao peito,...
Boa noite meu car+issimo amigo.Há muito não temos ...
"A maioria socialista mistura dois dos piores, por...
O governo (?) está coeso e os problemas resolvem-s...
"As várias privações materiais dos portugueses, co...
Conversa de 1914 não obrigado!.[sim: o europeu-do-...
blogs SAPO
Em destaque no SAPO Blogs
pub