Ideias e poesias, por mim próprio.
Quinta-feira, 6 de Setembro de 2018
Política pobreza
A política nacional é a causa direta da pobreza e da miséria nacionais.
A matéria da pobreza sempre ocupou uma parte significativa dos ilusórios discursos políticos, mas a pobreza nunca foi um território que esses mesmos políticos tivessem habitado.
Antes pelo contrário, estes políticos são filhos de classes económica e socialmente altas, como viveram sempre em situação de abundância e privilégio materiais.
Os políticos nacionais, da esquerda à direita, aproveitam-se dos pobres para se elegerem, perpetuaram-se no poder e incrementarem as suas fortunas, para tanto levando à prática políticas de generalização da pobreza e, no final, disseminação da dependência dos pobres em relação ao Estado e aos seus Partidos Políticos.
O Estado Português, desde 1974, aplica e leva a efeito, intencional, dolosa e ativamente, políticas e práticas de criação, disseminação e aprofundamento da miséria e da pobreza sobre o povo português.
O Instituto de Segurança Social tem cada vez mais funcionários, cada vez melhor pagos e presenteados com luxos, bónus, acesso à saúde, férias, facilidade laborais e reformas.
O reforço do aparelho burocrático e administrativo da Segurança Social e empresarial do Estado, em geral, têm em vista o agravamento da pobreza e o aumento do número de pobres.
Entre outros meios para o efeito, contam-se a destruição deliberada dos recursos naturais, especialmente por meio dos gravosos incêndios florestais, o da eficiência da rapina fiscal, ou a destruição económica, produtiva e educativa levada a cabo a jusante pelos sindicados aliados.
Os pobres são já hoje em Portugal mais de 3,5 milhões, em progressivo e contínuo crescimento desde há mais de 40 anos, e nunca como agora foi tão difícil sair da pobreza.
Quem e quantos mais estão em baixo cada vez menos terão hipóteses de subir, quem e quantos menos estão no topo cada vez menos hipóteses terão de descer.
O crescimento e aprofundamento das desigualdades sociais e económicas a favor das atuais elites políticas e económicas, são medidas legislativas, fiscais e administrativas intencionais por banda do Estado Português.
Um estudo recente da OCDE conclui que Portugal é dos país do hemisfério do norte onde é mais difícil sair da pobreza ou, ao invés, deixar de ser rico, já as desigualdades e a forma como estas se reproduzem ao longo de gerações é mesmo um exclusivo mundial português.
Na década de 1990 cerca de 57,6% dos portugueses mais pobres continuavam na mesma quatro anos depois, número que subiu para 67,1% na primeira metade desta década, num dos valores mais elevados do mundo e o maior da Europa.
Em média, quando sobe, uma família portuguesa de rendimentos baixos demora cinco gerações a chegar a um rendimento médio.
Muitos filhos de pais com rendimentos baixos até conseguem ganhar mais que os progenitores, mas há uma grande tendência para os filhos terem o mesmo tipo de trabalhos dos pais: por exemplo, se os pais forem trabalhadores manuais ou gestores, os filhos tendem a fazer o mesmo, numa tendência mais forte que no resto da OCDE.
Portugal apresenta hoje ainda mais sinais de uma divisão cada vez mais profunda entre as classes média-baixa e média-alta, havendo mais hipóteses, para quem está na classe média, de cair do que de subir na escala de rendimentos.
O “caminho para uma sociedade socialista”, instituído pelo 25 de Abril de 1974 na Constituição da República, visa conduzir o povo à socialização da miséria e, por fim, instituir a sua servidão legal e económica ao atual poder político-partidário de Estado.

 (twitter: @passossergio)
 
(artigo do autor publicado na edição de 1 de Setembro de 2018 do jornal mensário regional "Horizonte" de Avelar, Ansião, Leiria)
 

horizontesetembro2018.jpg

 

 

 


publicado por Sérgio Passos (twitter: @passossergio) às 12:16
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

A democracia dos círculos...

Fascismo

Injustiça

Deputado português, 40 ve...

Portugal versus Espanha

Rapina fiscal portuguesa

O Presidente do Conselho,...

Justiça ao Povo

Política pobreza

Esquerdas

arquivos

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Junho 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

tags

todas as tags

subscrever feeds
Contador
últ. comentários
É uma interpretação jurídico-política, da minha au...
Alguém me pode indicar onde posso comprovar esta i...
Sou brasileiro e na época da descolonização conhec...
Boas amigos Moçambicanos, nasci em 1962 em João Be...
Olá, também fiz parte desse grupo de pessoas, regr...
Para começar essas 34 medidas(ou outras)era no ent...
Esse parecer e com esse entendimento foi entretant...
Bom dia,Por acaso não me pode dizer onde encontrar...
POLICIAS RETARDADOS...
tenho as minhas suspeitas que pese embora as razõe...
blogs SAPO