Ideias e poesias, por mim próprio.
Domingo, 13 de Março de 2016
Subvenções, a antidemocracia

O acórdão do Tribunal Constitucional que repôs as Subvenções Vitalícias aos políticos do regime, justificou-se pela "...inconstitucionalidade das normas do artigo 80.º da Lei n.º 82-B/2014, de 31 de dezembro, por violação do Princípio da Proteção da Confiança, inferível do artigo 2.º da Constituição da República Portuguesa…".

Face a esta decisão, temos de perguntar o que é feito do mesmo Princípio da Proteção da Confiança para o povo português quando lhe aumentam os impostos, ou minguam o ordenado ao fim do mês, lhe fecham as fábricas e fica no desemprego, são obrigados a emigrar, etc., etc.

Ou, será que de verdade este Povinho não merece nem um bocadinho da confiança nos seus políticos e nas suas instituições?

desconfiança está toda nos privilégios dos políticos nababos e demais corruptos da Nação.

Na lista dos beneficiados das prebendas de luxo encontram-se muitos ex-titulares de cargos políticos, bastando para tanto, em muitos casos, 8 anos de consulado, sendo Presidentes da República, membros do Governo, deputados à Assembleia da República, Ministros da República para as Regiões Autónomas, Governadores de Macau, membros do Conselho de Estado e Juízes do Tribunal Constitucional.

São os casos, entre muitos outros, contudo não se sabendo ao certo quantos, de Cavaco Silva, Marques Mendes, Assunção Esteves, João Jardim, Manuel Alegre, Alberto Martins, Carlos Carvalhas, Jerónimo Sousa, etc., com pensões mais de 2 mil até 11 mil e tal euros.

Estes políticos tratam-se como cidadãos acima da lei, dando-se a si próprios privilégios anormais e superiores aos demais portugueses.

Naturalmente, é para isto tudo e para esta malandragem toda que os contribuintes portugueses pagam vultuosos impostos.

À afirmação de que "todos nós somos Estado", deveríamos responder com a revolta de quem trabalham de sol a sol e vive dos seus esforço e suor, não recebem prebendas, privilégios ou subvenções por parte do Estado, pagando em sacrifícios descontados do produto do seu próprio esforço e denodo.

A história da III República Portuguesa, ou dos últimos 42 anos, foi um ror de episódios de cleptocracia, nepotismo e corrupção contra o povo português.

O umbigo do país, em todo este tempo, tem vivido sentado à mesa do Orçamento Geral do Estado, as formiguinhas contribuintes continuam a suar e as cigarras políticas a cantar.

Está visto!

 

(artigo do autor publicado na edição de 1 de Março de 2016 do jornal mensário regional "Horizonte" de Avelar, Ansião, Leiria - http://www.jhorizonte.com)

horizontemarç2016.jpg

 



publicado por Sérgio Passos às 21:44
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

O tempo da Justiça

População

A patranha do crescimento...

Portugal pode acabar, a n...

O lixo financeiro e a mer...

34 medidas para reformar ...

Eleições para caciques

O Palhaço e o Burro

Definição de Socialismo (...

A "cláusula democrática" ...

arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

tags

todas as tags

links
Contador
blogs SAPO
subscrever feeds