Ideias e poesias, por mim próprio.
Terça-feira, 12 de Janeiro de 2016
Quanto custa ao país a jornada de trabalho de 35 horas na administração pública?

A redução para 35 horas da jornada de trabalho na administração pública coloca-nos perante questões e problemas que, responsavelmente, como uma qualquer outra simples equação, nos obrigam a encontrar respostas e soluções.

Não basta a simples justificação, ou defesa ideológica, ou filosófica, desta medida, a mesma tem de ser explicada racional e objetivamente, sem menosprezar a sua análise, justificação e viabilidade económicas. 

Ora, a instituição da jornada de 35 horas semanais na Administração Pública, como a medida proposta que esta semana vai a votos na Assembleia da República, de acordo e segundo os cálculos aventados por alguns economistas, equivalerá à necessidade de contratação de mais 440 a 500 mil trabalhadores para o desempenho das mesmas horas de trabalho que vão ficar vazias de funcionários, e correspondendo, no mínimo, um aumento de custos salariais para o Estado na ordem de 200 milhões de euros.

Sabendo-se a situação de contingência das finanças públicas portuguesas, as obrigações assumidas internacionalmente, e, especialmente, face às fortes restrições e aos compromissos externos assumidos de redução do crónico défice das contas públicas, portanto, não se podendo contratar mais novos funcionários públicos, temos de nos interrogar como é que se vai justificar junto dos nossos credores externos o correspondente aumento da desesa pública com esta medida?

Apresentamos aqui alguns exemplos, ou problemas, criados com esta medida, caso a mesma vá por diante: 1) o que acontecerá às escolas, nomeadamente às crianças e aos jovens, que ficam sem os auxiliares nos períodos letivos? Os menores ficam entregues a si mesmos (2) a redução, em média, de uma hora diária no atendimento público, implicará que os serviços com períodos reduzidos de atendimento público passem das meras 4 às poucas 3 horas diárias?!) (3) no período de tempo correspondente à diminuição horária a Administração Pública afetada passará assim a encerrar a correspondente prestação dos mesmos serviços?; (4) a nova jornada de trabalho de 35 horas será aplicada igualmente em todos os “serviços” públicos, tais como sejam portos, aeroportos, aviação, hospitais, segurança pública, polícias, justiça e tribunais, etc.? (5) e caso venha a ser apurados que são necessários os mesmos funcionários nos horários em falta, estes serão remunerados a título de horas extraordinárias? (6) ou, a diminuição do horário de trabalho levará a uma correspondente diminuição da remuneração dos trabalhadores abrangidos? (7) e, como contornar a tenaz oposição dos Sindicatos ao "banco de horas" e à "adaptabilidade" (duas medidas apontadas para a diminuição de custos)? (8) a jornada de 35 horas também será para aplicar no setor privado, ou, em caso negativo, como se justificará a criação duma clara desigualdade entre os trabalhadores do privado e os do público? (9) o previsto aumento de custos públicos com esta medida será compensado com um aumento de impostos para os contribuintes? (10) e, por fim, o Estado já fez as contas definitivas do custo financeiro desta medida, ou dos seus eventuais efeitos perniciosos no funcionamento da administração pública? ...

Aguardamos todos, a bem dos do país e da sua melhor saúde financeira, que os senhores deputados defensores desta medida nos expliquem cabalmente os seus prós e os contras e, no final, decidam responsavelmente!

 

relógio.jpg



publicado por Sérgio Passos às 21:17
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

População

A patranha do crescimento...

Portugal pode acabar, a n...

O lixo financeiro e a mer...

34 medidas para reformar ...

Eleições para caciques

O Palhaço e o Burro

Definição de Socialismo (...

A "cláusula democrática" ...

Justiça para Pedrógão Gra...

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

tags

todas as tags

links
Contador
blogs SAPO
subscrever feeds