Ideias e poesias, por mim próprio.
Quarta-feira, 31 de Julho de 2013
A verdade das mentiras.

A polémica com a Ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, acerca da história mal contada das swaps, não é mais do que o drama do próprio sistema político português: com um estado incomensurável e demasiado grande para ser administrado com honestidade, verdade, rigor e competência, se os ministros não mentem consciente e deliberadamente, mais cedo ou mais tarde, vão ter de faltar à verdade para mostrar que aparentemente sabem ou que estão devidamente informados sobre as matérias que tratam e estão a fazer, mas o que, essa é que é a verdade, humana e tecnicamente jamais alguém o conseguirá devida e cabalmente fazer.

Mas na política não há mentiras inocentes, nem sem que as mesmas não tenham as devidas contrapartidas.
O que estava e está aí em causa eram e são muitos milhões de euros e onde se entrecruzam negócios privados e públicos, do Estado português e muitos interesses particulares.

Ou alguém, porventura, pensará que a Ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque mentiu sem esperar receber as devidas contrapartidas?

Os políticos e os governantes, em geral, são hoje agentes de negócios que enriquecem rapidamente à custa do dinheiro dos contribuintes e fazendo-o na maior das impunidades.

Ora, todo este sistema político, administrativo estatal é baseado numa fraude sistémica e endógena e os governantes limitam-se a fazer o que o próprio Estado não só, por um lado, lhes exige, para manterem as aparências da fabilidade do sistema, como também, por outro lado, o permite, para lhes aumentar a riqueza e a fortuna pessoais, e que é mentir!

Elementar, meu caro!

 



publicado por Sérgio Passos às 11:30
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 26 de Julho de 2013
Tribunal Constitucional: mais de 4 milhões e 800 mil euros de despesa por ano para o quê?

Pelo respeito da Constituição da República:

Deve passar a ser o Supremo Tribunal Constitucional a ser a última instância de fiscalização da Constitucionalidade das leis, devendo todos os tribunais, em todas as suas instâncias, passarem igualmente a poderem pronunciarem-se sobre a mesma Constitucionalidade.

Isto, a bem do respeito da Constituição da República, pela uniformização da Constitucionalidade das leis e, muito mais importante ainda, para a célere aplicação da justiça e pelo fim de mutos expedientes dilatórios de sujeitos processuais que utilizam os recursos de Constitucionalidade unicamente para dilatarem e demorarem injustificadamente os processos judiciais.

Poupem-se 4.809.374,00 de euros anuais com o funcionamento do Tribunal Constitucional, fechando-o!

Extinção do Tribunal Constitucional Já!

 

 



publicado por Sérgio Passos às 16:04
link do post | comentar | favorito
|

A verdade das swaps pela Ministra das Finanças.

O drama da Ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, com a história mal contada das swaps, não é mais do que o drama do próprio sistema político português: com um estado incomensurável e demasiado grande para ser administrado com honestidade, verdade e competência, se os ministros não mentem consciente e deliberadamente, mais cedo ou mais tarde, vão ter de faltar à verdade para mostrar que aparentemente sabem ou estão devidamente informados sobre as matérias que tratam, mas o que humana e tecnicamente jamais alguém o conseguirá devida e cabalmente fazer.

Portanto, todo este sistema político e administrativo é baseado numa fraude sistémica e endógena e os ministros limitam-se a fazer o que o próprio Estado lhes exige e que é mentir!

"Elementar, meu caro Watson!"

 

 

http://visao.sapo.pt/swaps-uma-historia-mal-contada=f742888



publicado por Sérgio Passos às 11:45
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Segunda-feira, 22 de Julho de 2013
O embuste da austeridade e os políticos mentirosos!

 

ESTUDO OFICIAL COMPROVA:

 

OS POLÍTICOS PORTUGUESES ESTÃO A AUMENTAR OS SEUS RENDIMENTOS.

 

Um estudo do Ministério das Finanças vem dizer que o rendimento médio dos governantes e deputados sofreu já este ano de 2012 um aumento médio de 5,4%, através do aumento do pagamento de suplementos remuneratórios.
Os políticos obtiveram assim um aumento remuneratório médio mensal dez vezes superior à média dos funcionários da Administração Central.
Entre salários e suplementos, o rendimento médio dos membros do Governo e dos deputados cresceu de 5.370 euros, em Outubro de 2011, para 5661 euros, em Janeiro deste ano, uma subida de 5,4%.

Já trabalhadores da administração Central tiveram um aumento de 0,5%.

A crise na verdade não é para os políticos e governantes que veem aumentar os seus privilégios.
 
A austeridade apenas mostra a sua real consequência: enquanto os portugueses empobrecem a olhos vistos os seus políticos e os governantes enriquecem cada vez mais!

 



publicado por Sérgio Passos às 13:03
link do post | comentar | favorito
|

A democracia portuguesa é a dívida pública!

Os portugueses falam espantados sobre o aumento do endividamento público, que continua a crescer e já atingiu os 127% do PIB e, surpreendidos, perguntam-se como tal é possível.

Ora, é fácil de perceber, o que está a falhar éo resultado da ausência do controlo democrático do país, portanto, a soberania do povo e dos contribuintes, sobre o Governo, o Estado e demais Órgãos de Soberania, é inexistente.

Obviamente, onde não há democracia, e todos os Órgãos de Soberania em Portugal, excetuando, o Presidente da República, mas este que não tem quaisquer poderes efetivos e reais sobre a governação, naturalmente, os governantes (Governo, Estado Central, Regionais e Locais, Câmaras Municipais) não sendo presididos por princípios de um verdadeiro Estado de Direito Democrático, assim, funcionam segundo o regime do roubo impune e livre dos recursos públicos.

Este regime político, legal e constitucional, que é uma partidocracia plutocrática, age por meio dos seus partidos políticos, conjuntamente com o seu pessoal político, estão envolvidos e mancomunados a roubar o erário público e, sucessivamente, a vão pedindo dinheiro emprestado ao estrangeiro (emitindo dívida) para continuarem a viver faustosamente e enriquecendo à nossa custa.

Isto é fácil é, evidentemente, alíás é facílimo de perceber, mas os portugueses andam desde o 25 de Abril de 1974 de tal maneira intoxicados com a propaganda comunista, socialista, social-democrata e keynesiana, portanto convencidos com as falácias e trapaças políticas estatistas, dos investimentos públicos pelo enorme embuste do estado social, que aceitam já como adquiridos, portanto, sem discutir e como legítimos, os roubos que estes mesmos partidos e a suas clientelas de boys e girls fazem à frente dos seus olhos!

Ora, até que todos os Órgãos de Soberania, sem exceção, incluindo os Tribunais e o Ministério Público, não sejam eleitos pessoalmente por voto universal e secreto este roubo jamais irá cessar.

Até que o povo português não seja soberano dos seus próprios destinos os roubos cometidos por sucessivos políticos continuarão impunes e livres.

Acordem Portugueses!!!

 



publicado por Sérgio Passos às 12:37
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Segunda-feira, 15 de Julho de 2013
A democracia dos círculos uninominais.

Uma verdadeira democracia representativa deverá sempre passar sempre pela eleição dos deputados para a Assembleia da República baseado num sistema de eleição individual, pessoal e por método maioritário, ou seja, por meio de círculos eleitorais uninominais.

O atual sistema proporcional, de círculos plurinominais e de exclusivismo das listas partidárias para a eleição dos deputados nacionais, tem demonstrado ser um sistema representativo em que a relação entre o deputado e o eleitor é inexistente, as preocupações reais das populações são delegadas para segundo plano e , em verdade, substituídas pelos interesses dos lóbis e das agendas particulares dos agentes particulares nos partidos políticos.

O sistema eleitoral português assente no método proporcional de Hondt é uma total fraude política e eleitoral: não só despreza muitos dos votos, que de nada servem para a efetiva escolha e eleição dos candidatos, mas que já servem, tal como os votos nulos e em branco, para darem dinheiro do Orçamento de Estado aos partidos políticos, como, fundamentalmente, ignoram o sentido real do voto no candidato efetivamente escolhido pelo eleitor

O sistema de Hondt limita-se a distribuir os votos dos eleitores por quotas consoante o número de candidatos a eleger, desprezando o sentido direto e efetivo de cada um dos votos.

O eleitor neste métodp acaba por ser o elemento menor da própria eleição, servindo unicamente o seu voto para o preenchimento de uma aritmética pré-determinada de distribuição dos votos pelo acordo estabelecido entre os partidos políticos intervenientes.

E as atuais listas partidárias submetidas ao sufrágio popular fazem dos deputados meros representantes dos partidos e não do povo.

Já por outro lado, os círculos uninominais transformam um deputado eleito em representante de toda a comunidade do seu círculo eleitoral regional, responsabilizando personalizadamente cada um dos deputados perante os seus eleitores locais.

Os círculos uninominais permitem oportunidades para os verdadeiros candidatos independentes e locais, reforça a participação ativa dos cidadãos na política, isto tudo com uma participação política dos cidadãos e dos eleitores mais ativa e fiscalizadora.

A democracia faz-se na liberdade das pessoas e no respeito da sua individualidade.

O círculo uninominal tem a vantagem de fazer as pazes entre a população e o Parlamento, permite mais oportunidades para candidatos independentes locais, estimula e reforça a participação ativa dos cidadãos na política, com uma participação política dos cidadãos e dos eleitores mais ativa e fiscalizadora, desde a base da população até acima ao poder e, fundamentalmente, desprendida dos partidos políticos tradicionais e dos seus interesses cristalizados.

O método desta fórmula de eleição personalizado coloca o acento tónico do sistema político-constitucional na defesa dos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos, ao invés, portanto, da primazia do Estado, fazendo-se recentrar a democracia na liberdade das pessoas e no respeito da sua individualidade.

Para tanto importa proceder à alteração dos artigos 149º, n.º 1 e 151%, n.% 1 da Constituição da República Portuguesa e a revogação da atual Lei Eleitoral para a Assembleia da República, Lei n.º 14/79, de 16 Maio, sendo em seu lugar criado e implementado um efetivo sistema de eleição dos deputados para o Parlamento, baseado na sua eleição pessoal e individual, por método maioritário e por meio de círculos eleitorais uninominais.

É tempo de implantarmos uma verdadeira democracia representativa em Portugal, em que os cidadãos sejam a prioridade e, deste modo, pondo fim ao regime partidocrático!


 

Petição Pública para implementação dos círculos uninominais:
http://www.peticaopublica.com/?pi=Cirunin

 

 



publicado por Sérgio Passos às 10:57
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 10 de Julho de 2013
As palhaçadas de Junho.

Mário Nogueira o conhecido sindicalista comunista estava todo contente com a greve dos professores e a trapalhada nos exames escolares.

Este deprimente espetáculo só vem confirmar que o ensino público devia ser urgentemente encerrado e substituído pelo ensino cooperativo e particular, cabendo unicamente ao Estado a sua regulação e o de subsidiar (cheque-ensino) as famílias carenciadas.

Estes governantes e sindicalistas apenas trazem a público a sua qualidade de “cábulas"!

As greves nos últimos anos só têm servido para causar a destruição dos jovens portugueses e, por consequência, a destruição da economia e da sociedade.

E a atual realidade do desemprego em Portugal é de tal maneira escandaloso que, na divulgação dos seus novos números e dados, o Estado menciona-o como estando a "diminuir o emprego"!

A chaga social do desemprego em Portugal só poderá ser extinta quando o Estado se retirar totalmente da economia, forem eliminados o despesismo público, a carga fiscal abusiva, a legislação anti-liberdade económica, anti-empreendedorismo e anti-investimento privado, e deixar de se subsidiar a ociosidade e a preguiça sociais – vulgo Rendimento Social de Inserção - de centenas de milhar de adultos aptos para o trabalho.

E nos vários países europeus está demonstrado que intervencionismo estatal e o acento nas políticas sociais apenas perpetuam o ciclo vicioso do desemprego.

A austeridade e as exigências da troika têm sido a desculpa para o Governo, os Partidos, o Estado, a Função Pública e os Sindicatos justificarem todos os seus abusos e erros, até mesmo o injustificável e a irracionalidade.

Mas é apenas a incompetência daquela gentinha toda, de que o não pagamento do subsídio de férias aos funcionários públicos apenas vem demonstrar a insolvência de um regime político ineficiente, corrupto e despesista.

O social-comunismo e a partidocracia em Portugal estão no seu último estertor, a III República portuguesa caminha para o fim, mas já não há paciência!

 

(artigo do autor publicado na edição de 1 de Julho de 2013 do mensário regional Horizonte, de Avelar, Ansião, Leiria - http://www.jhorizonte.com)

 

 



publicado por Sérgio Passos às 16:21
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Terça-feira, 2 de Julho de 2013
Con-Fisco?

Não é aceitável à luz de nenhum princípio válido e regular que o Fisco recuse a passagem e entrega a um cidadão do pedido de uma informação fiscal, desde que justificada e com base num legítimo interesse ou causa justa, sobre a titularidade de um imóvel relativamente a uma pessoa ou contribuinte.

Uma tal recusa que seja de molde a ainviabilizar ou prejudicar um legítimo e legal interesse ou direito daquele interessado, tal qual como por exemplo a satisfação de um crédito, tem de se entender que o Fisco passou a agir em denegação da justiça, portanto, passou a estar à margem da lei e comporta-se como um vulgar delinquente.

É mesmo muito triste quando chegamos à conclusão que o Estado não se comporta de acordo e no respeito do Direito e da Lei e nem de Democrático já pode ser chamado!

Vivemos tempos de tirania!


 



publicado por Sérgio Passos às 12:27
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

19
20
21
22

25
26
28
29
30


posts recentes

O crescimento pornográfic...

A fácil e a difícil soluç...

Jornalismo ou Propaganda

Anarquia

Os incendiários da flores...

Os otários somos nós???

O Estado Terrorista Portu...

Avé César!

Do Estado vem (sempre) o ...

Tribunais Só Para Ricos

arquivos

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

tags

todas as tags

links
Contador
blogs SAPO
subscrever feeds