Ideias e poesias, por mim próprio.
Terça-feira, 25 de Junho de 2013
A corrupção tem o nome do Estado Português.

Tem de ser restabelecidade uma diferença, essencial e decisiva e que não é só conceptual, com ordem prática prática e com as respectivas consequências, no tipo de propriedade.

No público a propriedade tem de ser rigorosamente entendida e respeitada por todos e especialmente pelos poderes públicos e os seus agentes que essa propriedade é de de todos nós, portano é uma propriedade social, e os seus vícios (corrupção, etc.) são sustentados por todos nós.

Abusos que têm de acabar e serem severamente punidos

Já a propriedade é daqueles que (justa e legalmente) aplicaram o seu dinheiro na sua aquisição e são só esses é que pagam os erros aí praticados.

E sendo os seus proprietários os seus únicos responsáveis, não respondendo os dinheiros dos contribuintes por esses danos e perdas.

Esta separação entre estes dois tipos de propriedades tem de ser devida e rigorosamente clarificada, visto que em Portugal vai uma enorme confusão entre estes dois tipos de propriedade, resultado de quase 40 anos de marxismo e social-comunismo em que os políticos usaram, usaram, usam e abusam os bens públicos como se fossem sua (deles) propriedade e dos seus amigos e afilhados.

Basta então de corrupção e nepostismo dos partidos políticos!

 



publicado por Sérgio Passos às 10:49
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 22 de Junho de 2013
Os segredos da corrupção na Assembleia da República.

Alguém pode explicar porque é que a Assembleia da República não divulga a informação sobre pensões vitalícias atribuídas aos ex-deputados?

Porque é que a Assembleia da República viola e desrespeita os preceitos Constitucionais dos artigos 266º e 268º da Constituição da República que a obrigam a prestar a informação aos cidadãos sobre os benefícios atribuídos aos seus ex-membros, e ao contrário e ilegalmente mantém secretos esses dados?

Desde de 2011 que a Assembleia da República mantém sigilosos os nomes dos beneficiários das pensões dos ex-deputados, bem como os respetivos montantes atribuídos, para tanto escudando-se num parecer por si solicitado à CNPD (Comissão Nacional de Proteção de Dados), questionando se divulgar quem recebe pensões vitalícias punha em causa os dados pessoais dos deputados.

O documento, datado de 21 de Novembro de 2011, pronunciou-se no sentido de não prestar a informação aos cidadãos sobre a forma em que é aplicado o erário público!

Lembramos que a CNPD é financiada pelo próprio Orçamento da Assembleia da República! Veja-se esta tamanha hipocrisia, em que a AR pede à CNPD que se pronuncie sobre uma sua decisão.

Nós perguntamos: porque não foram chamados os tribunais a pronunciarem-se sobre isto???

Recordamos a regra para haver uma pensão vitalícia é que um político tenha um mínimo de 12 anos de “serviço”, regra semelhante aos juízes do Tribunal Constitucional, tal como a atual presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, que passou a receber aos 42 anos de idade o montante vitalício de € 7.255,00 mensais.

No entanto, a Deliberação 1141/2011 da CNPD, que não se encontra (!) disponível no seu site, é aqui disponibilizada em formato PDF e basta clicar no link abaixo:

 

http://www.naohapaopamalucos.com/wp-content/uploads/2013/06/145225252-Deliberacao-1141-2011-da-CNPD.pdf

 



publicado por Sérgio Passos às 12:03
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 14 de Junho de 2013
...

"Conheço, sei de certeza, o amor pela sonoridade de umas quantas músicas que, quando as oiço, me avivam a nostalgia.

Ora, mesmo que de todas as vezes que amei tenha ficado a sós valeu sempre a pena amar, porque o sentimento dessas músicas jamais me abandona."

 

[]



publicado por Sérgio Passos às 16:38
link do post | comentar | favorito
|

Comunismo?

O comunismo é o sistema que, em nome do Estado, visa a acumulação de grandes meios de produção e riqueza na mão de uns poucos sujeitos que se dizem comunistas.

 



publicado por Sérgio Passos às 12:04
link do post | comentar | favorito
|

Sindicatos ou Comissões de Trabalhadores?

O funcionamento e a lógica interna do sindicalismo em Portugal nunca teve minimamente, nem tem, funcional, estrutural e ideologicamente em vista o interesse dos trabalhadores.

Nem sequer está preocupado com a vida do país, o futuro de Portugal e dos portugueses.

Se tivesse em vista o melhoramento das condições socioeconómicas e laborais dos seus sindicalizados ou, em geral, dos trabalhadores, como por exemplo se pode constatar nos modelos dito social-democratas do norte da Europa, do Japão, da Austrália ou até mesmo de Singapura, que têm bem mais de capitalista do que tem o modelo político português, como escrevia, aí o sindicalismo está centrado e faz o seu enfoque primeira e fundamentalmente nas estruturas locais das comissões de trabalhadores das empresas.

Estas comissões de trabalhadores, como por exemplo se verifica e constata no excelente exemplo e funcionamento da Autoeuropa de Setúbal, têm em vista o melhoramento local das condições de trabalho, a proteção, a promoção e melhoria dos direitos e regalias e, fundamentalmente, os bons salários dos trabalhadores e, nunca deixando de preservar, a boa saúde da empresa nos níveis e fatores da produtividade laboral e em geral, da sua rentabilidade, e da sua sustentabilidade a médio e longo prazo.

Não é por acaso que na Autoeuropa temos um caso de sucesso mundial, bem o oposto do que sucedeu no caso do desastre que se deu na Opel da Azambuja, com a intervenção e os resultados desastrosos da atuação e intervenção da CGTP, vemos como a miséria, a destruição das empresas e o desemprego é a normal consequência das intervenções do sindicalismo de Portugal,

A CGTP e os seus sindicatos satélites, aliados à ortodoxia marxista do Partido Comunista Português, comungam da idiossincrasia comunizóide de destruição social, económica e humana, para conseguir, sob a sua política de terra queimada, e visam os objectivos políticos de levar à instauração da ditadura fascisto-comunista, do tipo soviético.

Já era tempo dos portugueses, dos trabalhadores e, fundamentalmente, dos sindicalizados, no seu próprio interesse e proveito, perceberem que estes sindicatos são máquinas de terrorismo social. Infelizmente, por outro lado, também, temos todo um regime político malquisto, doentio e enfermos pelos grupos criminosos que o infestam, espelhados num Governo e num Estado doentios, destrutivos e criminosos, que não protegem o país e os portugueses e que, mais não fazem do que acentuar a destruição geral social, humana, coletiva e económica de Portugal, colocando-o à beira de do colapso enquanto nação e povo.

Este regime político da Partidocracia, agitados e movidos por estas bandas de criminosos e bandidos que se movem na política, na finança, no Estado, nos partidos políticos e nos sindicatos, levam Portugal a esta trágica realidade.

 

 



publicado por Sérgio Passos às 11:08
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 3 de Junho de 2013
A proteção policial em Portugal agora é um artigo de luxo?

As certidões de autos de notícia, ou as mais comuns participações de acidente de viação das polícias (GNR/PSP), ao custo atual são agora, aquilo que alguns podem ser tentados a dizer... um verdadeiro assalto!

Ora, segundo a Portaria n.º 13334-C/2010, publicado em DR a 01/01/2011, aquelas taxas são alvo de atualização todos os anos e têm presentemente o seguinte custo:

• Certidão, por lauda – 12 €

• Fotocópia a cores – 1,07 € por página,

• Fotocópia a preto e branco – 0,54 € por página,

• Fotocópia autenticada – 1,07 € por página a preto e branco, acrescendo 2,14 € por cada página a cores,

• Disponibilização de cópia/s em suporte digital - 8,00 €.

No caso das fotocópias requeridas se reportarem a processo já arquivado, acresce ao total o valor de 3,21 €.

O envio da documentação requerida através de meio eletrónico, importa num custo de 3,21 € a acrescer ao total do valor da/s cópia/s.

Para que não se esqueçam antes de qualquer "toque" de latas de automóveis (...vá de retro...), uma mera certidão de participação policial de acidente automóvel nunca fica a menos de 52,00 €!

Face a uma barbaridade de um custo destes tenho de me perguntar, perante o artigo 272º, n.º 1 da Constituição da República Portuguesa que diz que a “polícia tem por funções defender os direitos dos cidadãos”, como é que ficam salvaguardados os direitos dos cidadãos, ou pior, os das pessoas com menores possibilidades económicas, os mais pobres e os carenciados!?

Ufff...

 



publicado por Sérgio Passos às 18:52
link do post | comentar | favorito
|

O Povo às armas.

O Ano de 2013 mostra-nos o genocídio de Portugal.

Muito se tem discutido sobre a taxação das pensões, mas a Segurança Social Pública tem regressar à sua matriz previdente e solidária originárias, que devem ser os de servir exclusivamente os fins da assistência das pessoas nas situações de debilidade na sobrevivência, na carência de rendimentos e a proteção na doença e na invalidez.

A Segurança Social não deve pagar luxuosas pensões a ex-políticos, governantes e altos funcionários públicos, que nunca descontaram para tal, ou o fizeram com dinheiros públicos, e vivem à custa do suor e da poupança alheias, deixando ao abandono centenas de milhar de portugueses e trabalhadores na pobreza, na fome e na doença.

Portugal aí está: 1 milhão de desempregados (mais 322 por dia), 300 mil, sendo mais de 12 mil crianças, com fome, 3 milhões de pobres, 700 mil sem médico de família, 23 mil idosos na solidão, 700 mil sem água canalizada ou esgotos ao domicílio e, em contrapartida, a dívida pública até Abril de 2013 já aumentou tanto como no ano todo de 2012 (57 mil milhões de euros), a subvenção aos partidos políticos de 2013 subiu para 63 milhões de euros, a Assembleia da República tem de Orçamento 140 milhões, a Presidência da República 16 milhões, a Presidência do Conselho Ministros e os Gabinetes dos Ministros 754 milhões, os Gabinetes dos Ministros da República na Madeira e nos Açores com 561 milhões.

Enquanto o povo português geme com miséria, os políticos, os governantes e a sua legião de “hienas” empanturram-se com mordomias milionárias!

A lei e o sistema político e eleitoral dão guarida e imunidade às bandas de criminosos “de colarinho branco” que saqueiam e destroem Portugal.

Só no dia em que o Povo se encher de dignidade, dizendo basta, tomar a via da revolta contra os criminosos que tomaram refém o Governo da Nação e pelo uso da força depor este Regime Político Partidocrático, suportado pela Constituição “abrilista” e socialista, é que poderão haver soluções e leis de democracia, riqueza, justiça e felicidade para os portugueses.

 

(artigo do autor publicado na edição de 1 de Junho de 2013 do mensário regional Horizonte, de Avelar, Ansião, Leiria - http://www.jhorizonte.com)

 

 

(Foto da Implantação da República, a 5 de Outubro de 1910)



publicado por Sérgio Passos às 12:58
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

19
20
21
22

25
26
28
29
30


posts recentes

O crescimento pornográfic...

A fácil e a difícil soluç...

Jornalismo ou Propaganda

Anarquia

Os incendiários da flores...

Os otários somos nós???

O Estado Terrorista Portu...

Avé César!

Do Estado vem (sempre) o ...

Tribunais Só Para Ricos

arquivos

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

tags

todas as tags

links
Contador
blogs SAPO
subscrever feeds