Ideias e poesias, por mim próprio.
Quarta-feira, 29 de Setembro de 2010
Abraço da vida, abraço da lua.

Abraço da vida, abraço da lua

Minguante, cheia e crescente

Branca e negra como cada nova noite

Presente ou ausente vem e vai nua

Em noites quentes em prados secos se apascenta

Em noites frias se faz espelho, a lua

Diletante se levanta e deita nua

Com seu corpo no dorso das águas deitadas

Com os braços bem abertos ceifados

Com os dedos para diante espetados

De mãos nuas e espalmadas em direcção

Chamo-a em sua luz, tomo-a confiante

Acompanha-me na sua ida e na sua vinda

É minha, momentânea e desavinda

Tem noite e tem presença, tem dia e não tem

Chamo-a em sua luz, abraço-a efémero.



publicado por Sérgio Passos às 20:39
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 28 de Setembro de 2010
Juízes a votos?

Correm de tempos a tempos, e agora de novo, uma ideia, eventualmente até a ser consagrada na própria Lei máxima, da Constituição, a de que os juízes deveriam ser eleitos, tal como os demais cargos políticos electivos. Há quem se bata por essa ideia, e muitos outros que a atacam, chamando-a até perigosa e demagógica, por poder vir a tornar o cargo e a função do juíz num poder arbitrário, sujeito à demagogia e irresponsabilidades, quando eles juízes já e bem, segundo o que propugnam os puristas da sua "independência superior", já se encontra salvaguardado pela sua independência e estrita e exigente obediência e à lei. Que dizer? Primeiro não deixo de estranhar, em qualquer tipo de argumentação, a alergia a métodos democráticos, e o afastamento ou alheamento de inetresses, classes e ou grupos, quaisquer que eles seja, sejam profissionais, culturais e outros, aos métodos e meios democráticos. Afinal, a soberania do Povo tem limites? E em nome de quem, afinal de contas, é plicada e para quem serve a Justiça? Não é um seu pilar a igualde de todos os cidadãos perante a mesma? Ou por acaso há alguns mais iguais que outros? Serão os juízes algum casta diferente da dos demais cidadãos? Estarão eles acima da lei, da comunidade e até da própria democracia? Ora, eu sou do entendimento, que sim, não seria pior, antes e muito pelo contrário, em ordem a sufragar superiormente a sua aceitação popular e para uma sua melhor interiorização e aceitação sociais, que podiam e deviam ser votados e serem eleitos sim. Mas isso só será (e seria) possível numa democracia adulta, com uma superior educação cívica e num elevado grau de desenvolvimento cultural e político. Mas, em Portugal, como é sabido, o Estado e os poderes ocultos aos quais está entregue desde os finais do Século XIX, e até a própria ideia dominante instalada na comunidade em geral, no que mais fazem é fomentar a ignorância, a dependência e a subserviência, seja culturais, políticas, cívicas e até, nos dias que hoje correm, a económica e a da própria sobrevivência alimentar. Não é por acaso que o aparelho produtivo e a própria agricultura foram desmantelados pelos sucessivos Governos nos últimos 30 anos. Isso obedeceu a um plano ditado pelo exterior aos corruptos políticos portugueses. Portugal na verdade é actualmente um paraíso em excelência, no Hemisfério Norte, de laboratório de extermínio cultural e civilizacional de uma comunidade, uma língua, um povo e uma nacionalidade. O Clube de Bilderberg, a Comissão Trilateral, o Clube de Roma, os Iluminati, o G8, as Lojas Maçónicas e outras associações, como tais olham, para a destruição e a alienação da realidade portuguesa extasiados! Portugal na verdade jamais conseguiu até hoje desenvolver-se em ordem a uma Democracia. As próprias leis eleitorais portuguesas são, aliás, bem o reflexo da democracia de fantoches, em que aos cidadãos está somente reservado o dever de pagar tributo aos suseranos: sejam os impostos para sustento da classe política e dos governantes, sejam as taxas de justiça que financiam e pagam os seus respectivos magistrados.



publicado por Sérgio Passos às 14:42
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 23 de Setembro de 2010
Cais.

De que vale ver se não se tem um olhar quem
As recordações havidas são futuro e ainda
O choro é um lugar incerto e sem 
A vida é um permanente ir e devir
Já fui e sou, mas não esqueço e tudo flúi
Tive princípio e não escolhi
Terei fim e não me deram sequer o direito.

 

Oiço o coração permanecendo-me
Serei eu ele?
Serei eu o seu batimento?
Vim aqui parar e digo adeus,
Esqueci-me do bilhete e não há mais embarcação

O meu cais é um lugar de batidas no mar

A vida é uma ténue palavra em fim de serão.



publicado por Sérgio Passos às 13:11
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 15 de Setembro de 2010
Deus nos perdoe!

Parece que o custo da viagem de quatro dias de Bento XVI ao Reino Unido está a provocar controvérsia no país, onde só 10% da população é católica. Segundo o mesmo estudo de opinião apenas 14% dos britânicos são favoráveis à visita do Papa Bento XVI ao Reino Unido.

Ora, o que uma maioria pensa ou não, não me preocupa muito, excepto claro está a sua ignorância e a o seu alheamento a Deus. Entender isto é tão fácil e tão lógico como perceber que são essas as reais e objectivas causas maiores da profunda crise que assola o mundo Ocidental, e que muito provavelmente o levará, e ao resto do planeta, a uma gravissíma e muito provável hecatombe civilizacional em prazo  breve, e de dimensões catastríficas a vários níveis, o que até já estamos a assistir, se não se arrepiar urgentemente caminho. Estamos todos preocupados, mas muito poucos se rebelam contra este estado dominante de coisas, tudo parece imóvel e alienado, senão mesmo colaborante e acobardado, com o perigoso o percurso que levamos. E assim alegremente vamos certos e seguros para um abismo.



publicado por Sérgio Passos às 18:39
link do post | comentar | favorito
|

A ditadura política em Portugal.

O problema actual em Portugal da dependência dos advogados em relação ao Estado e o não pagamento atempado do seu trabalho no Sistema público do Acesso ao Direito é, na perfeição, o que raras ditaduras alguma vez conseguiram fazer: asfixiar os indivíduos melhor capacitados para defender a liberdade e os direitos dos cidadãos. Parecido a isto, na História recente, só consigo encontrar na defunta União Soviética.



publicado por Sérgio Passos às 10:16
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 11 de Setembro de 2010
Portugal, terra de bandidos?

Portugal, terra de bandidos? O presidente que inventa falsas escutas, o governo que endivida o país e arruína a economia, os partidos e os políticos que fazem intriga com o orçamento de estado e com a nação, os ministros que traficam influências e atentam contra a lei, as empresas públicas que pagam salários multi-milionários a filhos, sobrinhos e afilhados de políticos, o erário e o património públicos abusados em beneficio de particulares, a justiça que não merece confiança do povo, os magistrados que fazem greve e política nos jornais, as testemunhas que mentem, advogados acusados de enriquecerem com os clientes mortos, de traficarem favores e sentenças, os polícias acusadas de parcialidade e de intriga e que ameaçam greves,  a comunicação social que inventa notícias, os municípios empobrecidos e os autarcas ricos, os gestores que enriquecem falindo as empresas, funcionários públicos colocados por “cunhas” e favores, populações que falseiam declarações para receberem subsídios, caloteiros que não pagam e calotes que abundam, os campos abandonados e as empresas fechadas, padres que compram ferraris, igrejas ricas com fiéis mais pobres, o desporto e os clubes com dirigentes e árbitros escutados a comprarem e a venderem resultados, indivíduos e grupos que  se associam ás escondidas e quem em público pedem favores para os amigos, leis que promovem uniões temporárias e homossexuais em prejuízo das famílias e dos filhos naturais, que incentivam o aborto e punem fiscalmente a natalidade, que incentivam o divórcio e a destruição das famílias, o estado e os seus funcionários que roubam os contribuintes, cidadãos que mentem uns aos outros e à comunidade, pessoas que criam boatos, que invejam e vivem para a maledicência e que maltratam os idosos, jovens que cabulam para obterem diplomas, estudantes que agridem professores e faltam sem justificação, adultos que promovem sem punição a preguiça, o álcool e as drogas, mulheres que se prostituem para subirem na vida, chefes de família que gastam o salário em vícios, crianças vivem na vadiagem e na delinquência, roubos e furtos cada vez mais, crimes e criminosos mais e mais violentos, violência social, familiar e conjugal e marginalidade em crescimento, que mais que mais… Que país é este? Onde pára a vergonha? Já não Basta?



publicado por Sérgio Passos às 17:47
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 10 de Setembro de 2010
Moçambique português.
 A solução da miséria e do subdesenvolvimento de Moçambique passa pelo fim do racismo e do marxismo, reconhecendo-se por iguais, em direitos e obrigações políticas, civis, legais e patrimoniais, todos os cidadãos, sem distinção de cor, nascidos antes e depois da independência de 25 de Junho de 1975, e permitindo-se a volta dos espoliados portugueses, ou seus descendentes, e a entrega sem reserva das suas propriedades

Mas Moçambique um dia ainda voltarará a ser Português, bem como o demais território do último Império Português. Penso que é verdade, e acredito mesmo isso nos ossos, a previsão de Fernando Pessoa do V Império é profética e certa. Portugal, daqui a não mais de 50 a 100 anos, voltará a reunir-se novamente desde o Minho ao Timor, passando pelos cheiros Áfricas, com o ritmo do samba brasileiro, condimentado pelas Indias portuguesas e espreitando pela saudade no Timor austral. Nessa altura juntar-se-ão a Portugal as terras da Galiza. Escrevo isto aqui sem medo. Estou seguro.


publicado por Sérgio Passos às 10:31
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 8 de Setembro de 2010
“Despesas do Ministério da Defesa ocultas com lei de Salazar."

"O Ministério da Defesa, do muito conhecido Augusto Santos Silva, mandou fazer obras na Madeira sem submeter as despesas ao visto do Tribunal de Contas, recorrendo a um decreto-lei publicado em 1958. Uma obra era de 1.4 milhões de euros e a outra de 959 mil euros. A de 1.4 milhões foi adjudicada a uma empresa representada por um militar na reserva e ex-chefe da Direcção-Geral das Infra-estruturas. Perante o facto o Tribunal de Contas diz que há violação de lei.” – Correio da Manhã de hoje. Ora, Ora... Já há 20 anos que eu digo que esta República nada tem de democrático e que os políticos e governantes são aprendizes de “ditadorzecos”. Também já lhes conhecíamos os tiques “salazarentos”, só faltava mesmo, para os conhecermos na perfeição, invocarem leis da ditadura de Salazar. Afinal, para que serviu o 25 de Abril, o regime que se seguiu até hoje e no qual esta gentinha faz o que lhe dá na real gana? Onde é que está o Estado-de-Direito Democrático neste país? É caso para dizer: melhor era que mandassem para o caixote do lixo a vigente Constituição da República!

 

 



publicado por Sérgio Passos às 14:43
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 4 de Setembro de 2010
Passos Coelho e Sócrates: irresponsáveis ou perigosos?

Passos Coelho e Sócrates continuam a brincar aos orçamentos, sem a coragem de assumirem imediata e de modo perceptível, cada um deles, as suas próprias e futuras responsabilidades políticas dos seus actos e das suas palavras para com Portugal e com o futuro de todos nós. E continuam a fazê-lo mesmo e apesar de poderem vir a mergulhar Portugal num atoleiro sem fim e numa crise sem precedentes pela falta da aprovação de um Orçamento de Estado para 2011, passando-se depois, com muito nefastas consequências, o país a viver quase um ano sem Governo e com um Orçamento de Estado por duodécimos. Só posso concluir por duas coisas: a situação da sobrevivência futura dos portugueses é-lhes completamente indiferente e a sua actual irresponsabilidade, mesmo que aparente, mas já com custos enormes diários na dívida soberana de todos os portugueses, é no mínimo criminosa. Eu respondo-lhes e à sua tamanha desfaçatez: houvessem ao menos mil portugueses corajosos e dispostos a arriscar as suas vidas por Portugal, e iríamos de pronto a Lisboa com as nossas próprias mãos pôr fim a este regime de loucos que tem reféns os portugueses junto de um abismo!



publicado por Sérgio Passos às 11:38
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 2 de Setembro de 2010
Propostas ingénuas para um Portugal surreal.

Corre uma petição pública na Internet para submeter à aprovação da Assembleia da República uma nova forma e outros meios de nomeação dos magistrados. Propõem a dita petição, em tese geral, que os Magistrados passem a ser escolhidos pelo poder e os eleitos locais. Bem, esta proposta é verdadeiramente indescritível, mas sempre e ao menos naquilo que a pode definir, é uma proposta assassina para uma mínima e credível Justiça e para um seu razoável funcionamento. Direi só, sem perder muito tempo, assustado que fico com esta tão perigosa proposta para este Portugal e, pior ainda, contando com os seus políticos ainda mais perigosos, que a petição não resolve em nada o problema que pretendem resolver, antes agudizam-no. A passar-se a eleger os Magistrados, como pretendem os autores dessa tão ingénua e irrealista proposta, portanto caso tal viesse a acontecer, passar-se-ia entregar a um sistema e um conjunto de pessoas que já por si muito pouco têm de democrático, quanto mais em prol de um sistema mais justo e transparente da Justiça. Ora, o sistema da eleição dos magistrados é facto que funciona razoavelmente nos sistemas anglo-saxónicos, mas aí a democracia funciona com transparência e os eleitos locais, bem como o sistema eleitoral e o monopólio dos eleitos e representantes políticos, não são feudo absoluto dos Partidos políticos como é em Portugal. Nesses países, de tendencial e dita democracia liberal, a Soberania política é bem do Povo, e o seu direito a votar é aproximado ao do de ser eleito, o que manifestamente não acontece em Portugal. Na verdade o problema em Portugal, e até o da sua Justiça, é de uma evidente falta de democracia. E é por causa desta grave deficiência que o país em geral não funciona nada bem. Mas e antes de mais, e sim em ordem ao melhoramento das Instituições políticas, bem como das judiciais, deveria, sim, começar por se mudar a lei eleitoral e o sistema de eleição dos representantes políticos. Se a acaso tal primeiro acontecesse, de verdade e coerentemente, estariam asseguradas mais e melhores condições democráticas políticas e da própria justiça, para depois e quanto ao resto, Portugal no seu todo, mudar e para muito melhor.



publicado por Sérgio Passos às 14:45
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

19
20
21
22

25
26
28
29
30


posts recentes

O crescimento pornográfic...

A fácil e a difícil soluç...

Jornalismo ou Propaganda

Anarquia

Os incendiários da flores...

Os otários somos nós???

O Estado Terrorista Portu...

Avé César!

Do Estado vem (sempre) o ...

Tribunais Só Para Ricos

arquivos

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

tags

todas as tags

links
Contador
blogs SAPO
subscrever feeds