Ideias e poesias, por mim próprio.
Segunda-feira, 29 de Outubro de 2012
A fezada de Miguel Relvas!

Apesar de todas as conhecidas irregularidades com a licenciatura de Miguel Relvas, que nos fazem pensar e tomar esta licenciatura como uma risível falcatrua, do tipo guardanapo de restaurante com rabiscos e apontamentos ou tipo uma manta de retalhos mal cosidos, o visado diz que se matriculou e frequentou a Universidade Lusófona e fez de boa-fé o seu dito cujo "canudo".

Diz-se da boa fé que é o princípio segundo o qual os sujeitos duma dada relação jurídica devem atuar como pessoas de bem, com correção ou lealdade.

Mas isto é fácil dizer-se e cada um de si diz o que quer; sabemos nós quantas vezes vir de alguém que se diz estar de boa-fé e mente “com todos os dentes da boca”.

E quem é que já não foi acusado injustamente por alguém, estando com esse/a mentiroso/a numa qualquer relação próxima de vizinhança, de propriedade, negocial, ou até mesmo numa relação amorosa, e dizendo-se estar de boa-fé?

Eu tenho-me por avisado de não o dizer, evito a todo o custo dizer que estou de boa-fé, prefiro realmente que os meus atos respondam por mim, porque do meu interior trato eu a sós com a minha consciência e com Deus.

Ora, eu lembro ainda dos meus tempos de faculdade, era ainda um caloiro ou pouco mais, mas o que ainda guardo na memória até aos dias de hoje e considero uma das minhas maiores lições, aliás como tantas outras que só se aprendem na Escola Universitária, de ouvir dizer a um Professor que a boa-fé é que uma coisa que vive dentro de cada um e que ninguém pode mesmo saber se é inteiramente verdade ou não se outrem está ou não nessa consciência, mas que e contudo a podemos avaliar, portanto julga-la e comprová-la, por meio de prova consentânea que passa pela avaliação dos atos e factos exteriores e consequentes da conduta de cada um, ou seja pelo julgamento da real atuação do sujeito e, a final e como resultado, pelas consequências jurídicas positivas ou negativas da pretensa ou alegada existência ou não boa-fé desse sujeito, em ordem podermos concluir se estamos ou não perante tal boa-fé.

Assim, compete a cada um esse singular ónus de prova da sua boa-fé; o risco da sua prova é coisa que compete a cada um segundo determinadas regras e, fundamental mas decisivamente, é uma coisa que traz riscos e até mesmo, nalguns casos, injustiças.

Mas esta é a realidade e dela não podemos fugir com falinhas mansas!

E, o que é facto e verdade indesmentível e que sobra à saciedade é que esta tão polémica e “singular” licenciatura de Miguel Relvas, bem assim como a sua conduta e os seus atos, bem como os dos demais envolvidos, à volta desta história, revelam sérios sinais de que agiram todos não só contra a lei, como com pouca ou nenhuma correção e, quando não mesmo, em muitos dos seus episódios, com muito poucos ou sem escrúpulos alguns e, inclusivamente, senão pior, a lealdade que era devida para com o superior interesse da credibilidade e do prestígios devidos às instituições universitárias, neste caso, foi escandalosamente nulo.

Ou seja, e até pode ser que não consigamos desmentir a alegada boa-fé interior de Miguel Relvas e essa é mesmo uma coisa que fica com a sua própria consciência, mas, de certeza absoluta, exteriormente e ao nosso mínimo juízo crítico, avaliando e concluindo o que sobejamente sabemos, a sua Licenciatura está eivada de muitos maus indícios e más provas, portanto negativas, que a contaminam de abundante má-fé.

 



publicado por Sérgio Passos às 12:35
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

A "cláusula democrática" ...

Justiça para Pedrógão Gra...

Crescimento económico de ...

Contribuintes portugueses...

64 homicídios

Os repetidos contratos po...

António Costa contratou a...

O crescimento pornográfic...

A fácil e a difícil soluç...

Jornalismo ou Propaganda

arquivos

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

tags

todas as tags

links
Contador
blogs SAPO
subscrever feeds