Ideias e poesias, por mim próprio.
Sábado, 24 de Março de 2012
Portugal precisa desesperadamente de futuro e de heróis.

Só mesmo num país como o nosso, e ao estado a que chegou, como sabemos, empobrecido, iletrado, sujo, violento, destruído, poluído, subdesenvolvido, endividado, sem esperança e sem futuro, foi e é possível que os melhores não sejam os escolhidos para dirigirem o Governo e o Estado de Portugal.

Vemos e ouvimos o Congresso do maior Partido Político da Assembleia da República e do Governo, o PSD, e o que claramente que percebemos é, uma vez mais, uma pobreza e uma miséria confrangedoras dos seus líderes, dos seus políticos e dos seus militantes, do seu discurso e do seu pensamento políticos e das suas ideias e dos seus programas para Portugal.

Isto tudo só foi assim possível porque só os piores dos piores sujeitos e dos mais maus caracteres de entre todos os portugueses conseguiram ascender à direção dos destinos de Portugal.

Quando há 25 anos denunciei a perigosa a escalada dos energúmenos e dos criminosos que se apresentavam para controlar as instituições, o Estado e a política nacionais, ninguém quis perceber, antes e ao contrário, muitos resolveram mostrar o seu negligente alheamento criminoso e outros, não poucos, preferiram abraçar cumplicemente e com muito proveito material a pérfida ameaça que se apresentava para o futuro de Portugal.

Os quantos que foram e são hoje os autores e a causa, os seus colaboradores e comparticipantes, do desastre em que Portugal atualmente se encontra mergulhado, estão hoje na Governação ou nos altos lugares do Estado de Portugal, refastelam-se em largas e pornográficas fortunas de milhares de milhões conseguidas à custa do erário público, do sangue dos portugueses e da vida e da saúde das crianças e dos idosos, enriquecem cada vez mais, dia a dia, e levando diariamente Portugal a um profundo abismo e à miséria generalizada do seu Povo.

A democracia que nunca houve em Portugal, antes havendo e no lugar dela se implementado uma profunda, mafiosa e criminosa Partidocracia, deram causa ao substrato e fundaram o lastro dos agentes e dos meios da destruição económica, social e moral de Portugal e dos portugueses.

Os meios pacíficos, legais e judiciais, por sua vez, demonstram hoje uma profunda incapacidade e ineficiência, para resolverem, controlarem e sancionarem devidamente os criminosos, os delinquentes e as suas condutas ilícitas, deixando e ao invés livremente e à solta aqueles muitos e graves criminosos que levaram Portugal ao atual estado geral de abominação, desolação e destruição das suas pessoas, do seu povo, da sua esperança e do seu futuro.

É com mágoa e com dor que os portugueses assistem ao seu presente e à atual situação.

O presente é de derrota e de desânimo dos muitos homens e das muitas mulheres e das crianças de Portugal.

Contudo, e não são necessárias muitas palavras, o presente, o povo português e Portugal têm, devem, por imperativo categórico e obrigação natural da sua condição espiritual e civilizacional, de mudarem radical e profundamente.

Os destinos de Portugal devem mudar em ordem a que o futuro volte a apresentar novas soluções e novos caminhos de alegria, de fartura e felicidade para Portugal e para os portugueses.

Essas novas soluções e esse novos caminhos de Portugal têm de passar pela resistência ativa e pela obrigação de um luta denodada e empenhada dos melhores dos Portugueses.

É então, por direito e por obrigação patrióticas, chegada a altura crucial dos bons e dos melhores Portugueses se erguerem e lutarem, esforçada e por todos os meios ao seu alcance e, se necessário for e para além da sua própria e legítima razão, até mesmo lutando com a força dos seus braços e dos seus punhos, para procurarem impor novos, renovados, solidários, patrióticos e criativos caminhos e soluções para Portugal.

Vamos a isto, Portugal e Portugueses corajosos e dignos,  a nossa História, o nosso Distinto e centenário passado coletivos devem e obrigam a que, em nome da Honra da nossa nove vezes centenária história, dos nossos valorosos igrejos e heróis antepassados, chamam pelos seus melhores filhas e filhas, para que se empenhem na causa nobre da derradeira salvação da nossa Pátria.

Viva Portugal!



publicado por Sérgio Passos às 01:34
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

A "cláusula democrática" ...

Justiça para Pedrógão Gra...

Crescimento económico de ...

Contribuintes portugueses...

64 homicídios

Os repetidos contratos po...

António Costa contratou a...

O crescimento pornográfic...

A fácil e a difícil soluç...

Jornalismo ou Propaganda

arquivos

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

tags

todas as tags

links
Contador
blogs SAPO
subscrever feeds